Sinopse

Portugal chegou tarde à sociedade de consumo, mas adotou-a de forma inequívoca, assimétrica e concentrada na faixa litoral. Desde então, os portugueses aceitaram os benefícios de uma política de consumidores, mas sem se envolverem num movimento social com efetiva participação cívica: capaz, por exemplo, de questionar as decisões da União Europeia ou de responder às questões ambientais e de sustentabilidade. Este ensaio contextualiza e traça o itinerário do consumidor português. Radiografa o presente e alerta para a transversalidade da chamada defesa do consumidor, que é muito mais do que a salvaguarda de direitos e se firma numa prática concreta de cidadania do consumo, em que os consumidores podem agir, entre a multiplicidade de parceiros, como um fio condutor do Bem comum.

Capítulos

  • 021 CHEGADOS AO ANO 2000 CONSUMIDOR MAIS EQUIPADO CIDADAO MAIS DESINTERESSADO

    Duração: 05min
  • 022 A POLITICA EUROPEIA DOS CONSUMIDORES E A SUA INCIDENCIA EM PORTUGAL NO INICIO DO SECULO

    Duração: 05min
  • 023 DE 2008 EM DIANTE OS DESAFIOS EMERGENTES

    Duração: 08min
  • 024 AMANHA OS CONSUMIDORES NA SUSTENTABILIDADE

    Duração: 03min
  • 025 CULTURA DE MASSAS O PRIMO DIREITO DA SOCIEDADE DE CONSUMO

    Duração: 13min
  • 026 SABER MAIS SOBRE A SOCIEDADE DE CONSUMO

    Duração: 05min
  • 027 BIO AUTOR

    Duração: 49s
  • 028 DISCLAIMER

    Duração: 18s
Página 2 de 2