A Carta da Corcunda para o Serralheiro

Sinopse

A boca regressa a Fernando Pessoa com A Carta da Corcunda para o Serralheiro o único texto que assinou no feminino. Maria do Céu Guerra é agora Maria José, boneca com os ossos às avessas, gente sem ser gente, igual a "um vaso com uma planta murcha que ficou aqui à janela por tirar de lá".
Pouco conhecida dos leitores, esta surpreendente personagem encarna a expressão máxima da despersonalização literária de Pessoa, da heteronomia pessoana; mas a carta de amor composta pela corcunda parece também, como defende Teresa Rita Lopes em Pessoa por Conhecer, "o auto-retrato mais acabado" do poeta enquanto "’grande alma’" que se sentia "’ninguém’".

Capítulos

  • A Carta da Corcunda para o Serralheiro

    Duração: 11min